Category Archives: Notícias

Wanderley Oliveira comenta novo livro de Pai João

Posted on: dezembro 19th, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux No Comments

EM FEVEREIRO será lançado o novo livro de Pai João de Angola pelo médium Wanderley Oliveira.

“Abraço de Pai João” traz histórias reais sobre carência afetiva. Um roteiro de amor que contribui no desenvolvimento espiritual da humanidade. Confira o vídeo inédito com Wanderley Oliveira sobre o lançamento.

Página oficial do livro: http://goo.gl/fBt2Py

Lançamento ganha destaque no Jornal O Tempo

Posted on: dezembro 16th, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux No Comments

O jornal mineiro O Tempo, publicou nesta terça-feira, 16, uma matéria especial sobre o livro O Lado Oculto da Transição Planetária, de Maria Modesto Cravo. Com entrevista do médium Wanderley Oliveira, a matéria aborda as transformações que acontecem no astral da terra neste momento em que transitamos para o período de regeneração.

Clique na imagem abaixo e confira a matéria na integra.

 

Lançamento de fevereiro | 2015

Posted on: dezembro 16th, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux No Comments
capa site
Depois do sucesso de “Fala, preto velho”, em 2015 será lançada a mais nova obra de Pai João de Angola: “Abraço de Pai João”. Quando há ausência do autoamor no ser humano, instala-se um vazio. Muitas vezes busca-se o amor de outrem como a solução. Essa tentativa pode levar a sérios transtornos emocionais, como a carência afetiva.Com base nessa premissa, Pai João de Angola, através da mediunidade de Wanderley Oliveira, traz histórias reais de superação.
Projeto gráfico

Após um estudo realizado pela House Dufaux, a capa do livro foi desenvolvida com técnicas de ilustração e pintura.”Abraço de Pai João” será lançado no dia 20 de fevereiro em todo o Brasil, também em e-book.

Novo livro de Maria Modesto Cravo | Wanderley Oliveira

Posted on: setembro 4th, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux No Comments

o lado oculto da transição planetária maria modesto wanderley oliveira editora dufaux livro

Você já se perguntou o que acontece no astral da Terra nesse momento em que transitamos para o período de regeneração? Em “O lado oculto da Transição Planetária”, a ser lançado no mês de novembro, Maria Modesto Cravo aborda os bastidores da transição com casos do planeta Terra e também do plano espiritual.

Uma viagem repleta de novos conhecimentos para quem busca entender as ações da espiritualidade no momento em que vivemos.

Para obter mais informações sobre o livro, CLIQUE AQUI.

23ª Bienal Internacional do Livro de SP

Posted on: agosto 20th, 2014 by Redação Dufaux No Comments

wanderley oliveira bienal do livro

 

No dia 23 de agosto, a partir das 15 horas, dentro da programação da 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, a Editora Dufaux traz o escritor Wanderley Oliveira para uma sessão de autógrafos. Na ocasião, também será lançado, com exclusividade em São Paulo, o livro “A verdade além das aparências: o universo interior”, de Samuel Gomes. Confira abaixo o endereço do evento.

Pavilhão de Exposições do Anhembi | Satand Mundo Maior | Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – CEP 02012-021 São Paulo – SP

 

PROMOÇÃO | Dia dos pais Dufaux

Posted on: julho 31st, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux No Comments

[ PROMOÇÃO ENCERRADA. CLIQUE AQUI E CONFIRA O RESULTADO ]

O dia dos pais está chegando e a Editora Dufaux vai ajudar você a presentar o seu herói! Participe do sorteio e concorra a 3 livros autografados, escolhidos por você!

Vídeo: Enfrente o seu MEDO | Piscólogo Samuel Gomes

Posted on: julho 22nd, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux No Comments

Aprenda a lidar com o seu MEDO usando as dicas do psicólogo Samuel Gomes, em vídeo inédito na MenteNova.

Vídeo: Crenças e Traição | Terapeuta Bruna Salis

Posted on: julho 22nd, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux No Comments

A Terapeuta Holística Bruna Salis  esteve no programa Point MenteNova para um bate-papo sobre crenças e traição.

Confira no vídeo abaixo.

SAMUEL GOMES | Conheça o blog oficial

Posted on: junho 18th, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux 3 Comments

blog_samuel_gomes

A Editora Dufaux lança com exclusividade o blog de Samuel Gomes, autor do livro “A verdade além das aparências”. No canal você encontra artigos, palestras, agenda e ainda as edições do programa MEREÇA SER FELIZ para audição online.

Acesse e confira o conteúdo: www.samuelgomes.blog.br

Artigo | Um NOVO olhar sobre autoconhecimento

Posted on: junho 3rd, 2014 by Comunicação | Editora Dufaux 1 Comment

26. Poder-se-á conceber o Espírito sem a matéria e a matéria sem o Espírito?
“Pode-se, é fora de dúvida, pelo pensamento.” (O Livro dos Espíritos – Allan Kardec)

Psicólogo

Samuel Gomes

Um dos desafios para os estudiosos e praticantes do Espiritismo na atualidade é o convite inadiável para o desenvolvimento de uma nova consciência. Mais do que ser espírita, é preciso percebermo-nos espírito. A descoberta essencial de nossa natureza espiritual tornou-se um desafio ainda maior, apesar das dificuldades encontradas por muitos de nós, na tentativa de ser espírita. Vamos levantar alguns aspectos, pelos quais escutamos muitas pessoas se dizerem espíritas:

– frequentar assiduamente reuniões em um centro espírita;
– participar de reuniões práticas de mediunidade para averiguação dos fenômenos espíritas ou mesmo dedicando-se a seus trabalhos socorristas;
– abraçar suas tarefas e práticas, principalmente, dentro da caridade em suas instituições;
– ler obras romanceadas, informativas ou reflexivas de conteúdo espiritual;
– e dedicar-se ao estudo da Doutrina dos Espíritos – essa, talvez, a maior credencial dessa realidade.

O próprio Kardec faz menção sobre a qualidade do espírita em O livro dos médiuns, capitulo três, itens 27 e 28 que, resumidamente, nos esclarecem que há os espíritas sem o saberem. São os que ”Sem jamais terem ouvido tratar da Doutrina Espírita, possuem o sentimento inato dos grandes princípios que dela decorrem (…)”; os espíritas experimentadores, para os quais “o Espiritismo é apenas uma ciência de observação, uma série de fatos mais ou menos curiosos.”; os espíritas imperfeitos, “Os que no Espiritismo veem mais do que fatos; compreendem-lhe a parte filosófica; admiram a moral daí decorrente, mas não a praticam.

Insignificante ou nula é a influência que lhes exerce nos caracteres.”; os verdadeiros espíritas, “Os que não se contentam com admirar a moral espírita, que a praticam e lhe aceitam todas as consequências. (…) tratam de aproveitar os seus breves instantes para avançar pela senda do progresso, (…) esforçando-se por fazer o bem e coibir seus maus pendores.”; e os espíritas exaltados, aqueles nos quais “o Espiritismo, infunde confiança demasiado cega e frequentemente pueril, no tocante ao mundo invisível, e leva a aceitar-se, com extrema facilidade e sem verificação, aquilo cujo absurdo, ou impossibilidade, a reflexão e o exame demonstrariam. O entusiasmo, porém, não reflete, deslumbra. Esta espécie de adeptos é mais nociva do que útil à causa do Espiritismo.”.

Mas, fundamentalmente e com maior profundidade, precisamos compreender que uma coisa é ser espírita – o que já é difícil – e outra coisa, mais complexa e verdadeira é sermos espíritos.

Podemos averiguar nessa nova maneira de ver a vida, que uma pessoa que se diz espírita pode não ser, se de alguma forma ela não se percebe em sua própria realidade espiritual.
Nesse contexto, precisamos levar em consideração alguns aspectos para melhor compreender os detalhes que envolvem essas reflexões:
Primeiro, perceber que a natureza do que chamamos espiritual é diferente do propósito de definir o Espírito em sua real essência.
Podemos chamar de natureza espiritual tudo aquilo que está além dos cinco sentidos. Mas muitas realidades pesquisadas pela ciência que não nos afetam os sentidos são definidas como sendo de natureza material. Dessa forma, o material de muitas dessas pesquisas podem ser denominadas, erroneamente, de espiritual, mas que na verdade, ainda são aspectos físicos.
O próprio perispírito é material, corpo esse que se encontra num estado de matéria que se apresenta além da catalogação da ciência, e que na verdade, apesar de chamarmos de natureza espiritual, não tem nada a ver com a essência do espírito.

Dessa maneira vemos que, o que o cientista está pesquisando e o que chamamos de espiritual são uma mesma realidade, criando uma falsa impressão de que são duas coisas diferentes.
Em ambos os círculos de pesquisas e estudos, vê-se o efeito de sua ação, mas não o elemento em si, numa representação do que é falado e levantado como hipóteses. Um exemplo é o elétron, que ainda não se pode tirar uma fotografia de sua realidade corpuscular, por não ser estático e pelo tamanho de sua estrutura, mas, pode-se afirmar que ele existe pelo efeito de sua ação. Assim também é a realidade do espírito que, sendo igualmente invisível, encontra-se no mesmo patamar de dificuldade definidora.

Como ficaria limitada uma definição do termo espiritual numa tentativa de fechar conceitos sem uma clareza do que estamos falando. Sobram-nos várias indagações:
A própria ciência não conseguiu fotografar muitas das partículas subatômicas e outras realidades que existem, mas que não podem ser comprovadas por fotografias ou reter particularmente esses elementos para uma análise palpável. Poderá a ciência fechar conclusões sobre o tema? É correto dizer que estas realidades não existem pelo fato de não poderem ser manipuladas ou fotografadas?

Muitas pesquisas feitas no mundo para comprovar a existência do espírito partem do mesmo ponto. Pode alguém afirmar que eles não existem por serem invisíveis? A ação de uma inteligência sobre a vida biológica só é atestada quando ligada a um corpo físico? Fora dessa realidade, ela não existe?
São tantas questões na busca do entendimento dessa realidade múltipla da vida que as conclusões e afirmações definitivas não poderão fechar definitivamente esses conceitos como uma verdade absoluta, para não cair em contradições no amanhã.
Outro desafio que temos e que torna ainda maior a sua complexidade, ainda é o de como poderemos investigar a natureza essencial do espírito, quando essa investigação traz uma dificuldade que é a utilização de palavras e descrições para nos fazer compreender o que o espirito é. Até mesmo os espíritos nas obras básicas da doutrina, por muitas vezes tinham dificuldade de comunicar a realidade do espírito para Kardec.

Apresentamos a pergunta 82 de O livro dos espírtos, que trata da definição do Espírito, para observarmos essa dificuldade que temos com a linguagem:
“82. Será certo dizer-se que os Espíritos são imateriais?
’Como se pode definir uma coisa, quando faltam termos de comparação e com uma linguagem deficiente? Pode um cego de nascença definir a luz? Imaterial não é bem o termo; incorpóreo seria mais exato, pois deves compreender que, sendo uma criação, o Espírito há de ser alguma coisa. É a matéria quintessenciada, mas sem analogia para vós outros, e tão etérea que escapa inteiramente ao alcance dos vossos sentidos.’”.

Logicamente que essa resposta está relacionada ao espírito como individualidade extracorpórea depois da morte, envolvido por um corpo – o perispírito – que tem uma natureza semi-material e não o espírito propriamente dito em sua natureza essencial. Esses exemplos nos chamam a atenção para a dificuldade de comunicar por palavras alguma coisa que está além dos sentidos humanos.

Direcionemos agora nossas observações para nossa compreensão da relação profunda entre o autoconhecimento e o espírito.
A percepção de nós mesmos através do autoconhecimento torna-se um dos meios mais eficazes para descobrirmos a realidade do espírito em nós. Na medida em que conseguimos averiguar de forma direta o que está acontecendo conosco, em nossas experiências do dia a dia, precisamos colocar de lado as informações que já trazemos, abrindo uma nova perspectiva de entendimento do que acontece, iniciando uma investigação que nos colocará em contato direto com a natureza do espírito que é a fonte criadora desses estados.
Esse processo de autoconhecimento é o aprendizado, onde a informação não se torna tão importante quanto à realidade, pois a percepção direta do fato será transformada em estado de consciência.

A própria pergunta de O livro dos espíritos, que utilizamos como introdução para esse texto, tem como finalidade uma percepção auto-exploradora para podermos saber o que seria o espírito sem a matéria, como também a matéria sem a presença do espírito.
A resposta foi muito profunda, pois, nos convida a ver o espírito, percebendo-o em nós mesmos, observando a ação de pensar, e dessa forma, ver a natureza de algo que há em nós, de cunho invisível aos sentidos.

Quando estamos pensando, essa ação se manifesta de forma visível para nossa mente, mas invisível ao outro. A sutilidade dessa pergunta de Kardec e a resposta dada pelos espíritos é muito ampla, e na medida em que a estudamos com mais carinho, poderemos ver nuances que até então desconhecíamos num primeiro aspecto de sua apresentação, demostrando quanto são abrangentes e infinitos os ângulos que poderemos ter da vida.

Através do autoconhecimento poderemos compreender em nós mesmos a realidade do espírito agindo criativamente através da matéria.
Abordaremos com maior amplitude este tema no próximo artigo: ”Mente, espírito e autoconhecimento.”.

Samuel Gomes é psicólogo e palestrante. Ministra cursos e realiza trabalhos com grupos de vivências sobre autoconhecimento.
É autor da obra “A verdade além das aparências – o universo interior”.
Disponível em todas as livrarias do país a partir de agosto desse ano.
Editora Dufaux.
www.editoradufaux.com.br/contato