Notícias

COMO UM NOVO NÍVEL DE CONSCIÊNCIA PODE TRANSFORMAR A SUA VIDA?

consciência

Em que aspecto o desenvolvimento da capacidade de ampliação do seu nível de consciência pode ser aprimorada, na busca de uma vida mais saudável, significativa e feliz?


UM CÉREBRO ALTAMENTE DESENVOLVIDO

consciência

A humanidade, nos últimos 300 mil anos, aprimorou-se de modo espetacular. Com um cérebro altamente desenvolvido, o homo sapiens tem sido responsável por grandes realizações no campo da inteligência, do raciocínio lógico e abstrato, com reflexos no campo da ciência e do conhecimento, o que tem propiciado conforto e facilidades em diversos setores da vida.

As áreas da Psicologia, da Psiquiatria, da Neurologia e das Neurociências se aprimoraram muito no último século, com suas pesquisas, estudos, testes e também com a utilização de equipamentos de neuroimagens, o que tem permitido um conhecimento cada vez mais completo, tanto do comportamento humano quanto do cérebro.

Mas a questão é que o processo evolutivo, que culminou no desenvolvimento do equipamento cerebral humano, especialmente do córtex pré-frontal, por si só, não foi suficiente para garantir que se tivesse a habilidade de comandar com eficácia o seu funcionamento mental.

É que o ser humano ainda não aprendeu a lidar bem o suficiente com suas respostas emocionais que surgem diante das experiências, que são naturais e nem com a qualidade dos próprios pensamentos que são ininterruptos, o que torna um verdadeiro desafio pensar de modo saudável.

O cérebro é um equipamento eletrônico de grande sensibilidade, que reflete a mente. E a forma como se administram os pensamentos e sentimentos, determinará a qualidade de vida de cada um, com reflexos diretos no bem-estar, nas conquistas, na alegria de viver, na vida social, nos relacionamentos e na própria saúde física e mental.


Fugindo da realidade

consciência

Viver em um mundo de transformações nem sempre é fácil e com isso surgem os desafios naturais da vida, com um objetivo claro de estimular o Ser no desenvolvimento dos seus potenciais. É que ao lidar com os desafios, a inteligência se aprimora na busca das soluções e com isso o amadurecimento surge de modo mais consistente. Mas nem todos conseguem lidar tranquilamente com os desafios que passam a ser vistos como sofrimentos.

Muitas pessoas, por portarem ainda um ego frágil, quando se deparam com a realidade e a encaram como sendo dura demais, na tentativa de atenuar o impacto das experiências, escapam pelas vias dos mecanismos de defesa do ego. Mas com isso, o que acontece é que a pessoa passa a viver em um mundo irreal, porque é isso que os mecanismos de defesa fazem.

Acontece que ao lidar com o outro nas relações, há grande facilidade em encontrar determinados conflitos e questões e isso mexe muito com as próprias emoções. Provavelmente a pessoa carrega esses conflitos, mas ainda inaceitáveis em si próprio.

Outras vezes, vive-se alienado, mantendo ressentimentos camuflados em distrações, como diversões ou mesmo em um trabalho pesado e contínuo, sem dar espaços para que as questões principais apareçam para a consciência.

Em outras situações surge o sentimento de que as pessoas não o respeitam, onde possivelmente o que ocorre é um autodesrespeito nas próprias escolhas e posicionamentos e com isso as projeções aparecem.

Há quem repita que todas as pessoas são falsas, mas é possível que quem diga isso, de modo inconsciente não esteja sendo verdadeiro e sincero com os próprios valores e ideais.

Em muitas pessoas que buscam o poder e o destaque, o que se tem na verdade é uma forma de encobrir com compensações as próprias fragilidades e baixas emocionais.

Muitas vezes, quem se queixa do sentimento de solidão está trazendo sentimentos de rejeição e desprezo por si mesmo e não necessariamente a falta de alguém.

Por isso, é tão importante reconhecer e transformar os aspectos que limitam nossa percepção de nós mesmos para que possamos ver o mundo de um modo mais claro e harmonioso.


OS INSATISFEITOS

A forma como lidamos com a vida não tem ligação apenas com os estímulos externos dos acontecimentos, mas principalmente com o modo que se percebe esses estímulos.

E com isso, cada um capta a realidade dentro da sua própria capacidade atual de lidar com os fatos. Desta maneira, a forma como se percebe as experiências irá desencadear as emoções e os sentimentos e estes serão a base para as reações comportamentais.

A insatisfação, quando aparece na vida de modo continuado, em forma de queixas, mau-humor e agressividade, demonstra a expressão de adoecimento do próprio psiquismo. Sendo assim, isso merece cuidado e transformação para que a vida seja mais plena e feliz. O estado de insatisfação geralmente aparece decorrente de três formas principais de se ver a vida.

  1. Há os que culpam a vida e os outros pelos sofrimentos e dificuldades que passam e, com isso, se vitimizam, levando uma vida passiva, sem atitudes e repleta de queixas.

  2. Há os que se revoltam com as dificuldades e com isso agem agressivamente em seus comportamentos. Esses se revoltam pela insatisfação e agem de modo destrutivo e agressivo até nas menores situações. Carregam a mágoa como combustível de seu mau humor e a sua intolerância aparece continuamente nas relações que mantém.

  3. E há também os que esperam que a vida, de algum modo, mude magicamente. Um sentimento infantil sustenta essa visão. Não há esforço, preparo ou movimento na direção das realizações. Simplesmente espera-se que um dia as coisas apareçam arrumadas, melhores. Quem sabe a situação financeira melhora com um bilhete que será premiado na mega sena e que nem foi comprado?

Mas o fato é que onde não houve sementeira não haverá colheita. Qualquer situação tem possibilidade de mudanças, na proporção que se criam bases para isso.

É preciso parar de culpar o mundo ou os outros pelo próprio sofrimento. A postura de assumir a responsabilidade pela direção da própria vida, pelas escolhas que se faz e pelas consequências decorrentes, é postura de amadurecimento e é o que possibilita tomar essa direção.

 A atitude de quem tem responsabilidade sobre a própria vida e na construção da felicidade, faz grande diferença, pois a possibilidade de transformação nos diversos aspectos da vida se encontra na forma de ver as experiências, nas escolhas saudáveis e nos posicionamentos que se permita ter.


DESPERTANDO UM NOVO NÍVEL DE CONSCIÊNCIA

O sofrimento que se encontra na vida, na maioria das vezes, é decorrente das escolhas imperfeitas e está ligado diretamente a um não saber fazer melhor. Por isso, a qualidade das escolhas que cada um faz está conectada ao grau de consciência que tem de si.

Por isso é tão importante uma visão mais compassiva se si mesmo. É que mesmo quem está errando está fazendo o melhor que pode neste momento, porque se soubesse fazer de uma maneira melhor, faria.

O autoconhecimento surge como solução, permitindo se conectar com a própria intimidade e com isso, compreender que o que se encontra na vida, é um reflexo direto de si próprio.

Deste modo, cada questão exterior que surge é, no fundo, um sinal de um aspecto do mundo interior que precisa ser visto e transformado.

Por isso, onde estiverem os seus valores, ali estarão fixados os seus sentimentos e será o que se encontrará na vida.

Cada um encontra o que busca, conscientemente ou inconscientemente. O que repetimos dentro de nós, por várias e várias vezes, acaba por criar vínculos em função da constância.

Porém, é importante perguntar: Qual a qualidade deste conteúdo que se mantém? Quais os tipos de pensamentos, de crenças, de sentimentos?

Quais palavras que se fala e frases que se repetem com frequência?

Cada um vê a vida de acordo com o nível de consciência que apresenta. Quanto maior o nível de consciência, mais amplas as possibilidades que desfruta, mais momentos felizes. Quanto menor o nível de consciência, mais limitação na forma de ver e lidar com as situações, com isso, mais sofrimento.

O desenvolvimento quando consciente se dará através de uma busca ativa do próprio crescimento e sempre de modo espontâneo e contínuo.

O crescimento inconsciente, surgirá como um mecanismo natural da vida, de impulsionamento para a mudança, mediante os reflexos da dor quando não houve uma busca voluntária de transformação. A dor aparece como um sinalizador de que o modo como se tem levado a vida não está apropriado. Saber que é necessário fazer uma atualização na forma de pensar, sentir e agir e com isso, agregar novos valores e formas de se lidar com as experiências.

Estudar-se, conhecer o que se encontra na sua vida inconsciente, fazendo conexões com as escolhas e a vida que se vive e sempre buscando os valores nobres, são atitudes que trarão mais clareza mental, simplicidade na forma de ver a vida e flexibilidade nas posturas.


Rodrigo Ferretti