Notícias

GUARDIÃS DO AMOR – A MISSÃO DAS POMBAGIRAS NA TERRA

Pombagiras

O livro “Guardiãs do amor – a missão das pombagiras na Terra” é a sexta obra psicografa pelo amado Pai João de Angola, publicado pela Editora Dufaux.

Antecedendo-o, foi lançado “Guardiões do Carma – a missão dos Exus na Terra”. E teremos ainda um terceiro livro que vai compor a “TRILOGIA ESPÍRITOS DO BEM”.

Ambos os livros visam o resgate da imagem social e cultural que foi construída a respeito dessas entidades espirituais, que tiveram seus nomes associados a magias e ritualismos perniciosos, totalmente distantes daquilo que realmente eles fazem no mundo astral.

Os Exus e as Pombagiras são tratados com profundo respeito pelos espíritos mais nobres ligados ao coração do Cristo. São embaixadores de serviços muito complexos e difíceis relativamente à justiça e ao amparo dos encarnados e dos desencarnados.

Os livros de Pai João de Angola, que tem laços de muita afinidade com todos eles, tem alcançado seus objetivos plenamente. Hoje, já vemos espíritas e espiritualistas construindo um novo conceito sobre o trabalho e a importância desses Espíritos do Bem.

Para nós, no mundo físico, ter essas notícias nos auxiliam muito na ampliação de uma noção mais clara da realidade de nossa pátria espiritual, e também serve para nos esclarecer sobre o valor de destinar nossa fé aos queridos Exus e Pombagiras no erguimento de mais proteção e força na nossa caminhada de transformação espiritual.

Os tempos de hoje pedem revisão de crenças e valores. Segundo Seraphis Bay, na “Mensagem mediúnica de apoio - O que está acontecendo com a Terra“, que é um dos textos introdutórios da obra nos diz:

“Há um fluxo imperativo que vos impõe urgente mudança de olhar no que se trata da ACEITAÇÃO da forma como a vida acontece e sobre como as pessoas se organizam para seguir seu destino, seu mapa pessoal.

O núcleo de tudo isso é simples e claro: ou você muda o que já sabe que precisa mudar, ou a vida vai desmoronar à sua volta, reciclando freneticamente as suas ilusões.

Seus pontos de vista e formas de entendimento já não te servem mais. Chegou a hora de decisão. Hora da Verdade sobre QUEM É VOCÊ.

DÓI MUITO MAIS RESISTIR, QUE MUDAR. A expressão da sua autenticidade é curativa, apaziguadora e revitalizadora.

A Energia da Verdade solicita coragem para decidir, humildade para desapegar do que te sustentou até agora na forma de ver o mundo, e muito respeito com o que você não consegue compreender, por enquanto.

A vida não vai ser como você quer. As pessoas não serão como você gostaria. Abra mais os seus olhos. Intensifique mais a sua audição.“.

Insert Image
Pombagiras

Sobre o tema das pombagiras e exus, vemos a espiritualidade maior trabalhando intensamente para desconstruir os preconceitos humanos criados em função de interesses religiosos e políticos. No Prefácio dessa obra, dona Maria Modesto Cravo afirma com segurança:

“Pai João nos oferece uma pálida ideia das divergências de crença e religião detalhando o trabalho e a missão das maravilhosas pombagiras, aqui na vida do espírito imortal. E, se você for socorrido por uma delas, trazendo consigo a farta e negativa interpretação que a popularidade brasileira conferiu a elas, injustamente?

São nossas companheiras queridas, corajosas, sensíveis e profundamente comprometidas com o bem da humanidade. São propulsoras conscientes do sagrado feminino, da força da sensibilidade e da ruptura das ilusões pelos caminhos da empatia e do amor.

Verdadeiras “bombeiras da alma”, sempre prontas a servir e diminuir os focos perigosos e cruéis da dor humana.

As pombagiras são as mães que amparam a orfandade e o abandono espirituais dos corações desgastados com a solidão, o medo e a mágoa. Adotam como filhos todos os que se sentem desamparados e desprotegidos diante das provas humanas, tanto no plano físico quanto no espiritual. São um exemplo de amor incondicional e de grandeza da alma. São mães dos deserdados e angustiados.

Eu as saúdo com total reverência pela bondade que há nelas, pela presença e calor humano que espalham no mundo.“.

E nós também as saudamos!

Wanderley Oliveira