Notícias

GUARDIÕES E GUARDIÃS

Guardioes

Tratar exus e pombagiras como guardiões do Cristo? Não aceito mesmo! Imagine se vou misturar Espiritismo com Umbanda! Esse pessoal é vira-casaca! Não me enganam!

Essas são as “ponderações” de muitos companheiros espíritas que já dão sentenças sem ler a obra. Leiam, e se não gostarem, não recomende e emita sua discordância da obra com o respeito que deve acompanhar qualquer crítica saudável.

No texto de abertura da obra ”Guardiãs do amor – a missão das pombagiras na Terra"¹, Maria Modesto Cravo já destaca:

Guardioes

“A Terra necessita de um novo coração após os episódios das guerras e tormentas pelos quais passou e ainda vem passando nas últimas décadas. Um coração que albergue a sensibilidade e a empatia nos rumos do verdadeiro amor. Necessitamos de pulsos vitais de bondade e compaixão nesse planeta.

As oportunas mensagens mediúnicas de Pai João de Angola cooperam com as iniciativas do bem chamam a nossa atenção uma vez que vêm dos benfeitores e administradores do orbe.”

Dona Modesta fala que se faz urgente aumentar nosso afeto e amorosidade para lidar com as diversidades que nos conduzem à Regeneração. O momento pede capacidade de amar, o que, na linguagem humana, está ligada ao feminino do espírito, esteja ele vivendo em que gênero for. Só assim para participar da obra de erguimento de um mundo novo, mais humano e mais civilizado.

No Hospital Esperança² encontramos núcleos de trabalho onde coexistem pacifica e respeitosamente um centro de Umbanda, uma igreja evangélica, um templo católico e vários outros grupos cristãos. Todos eles têm em comum os objetivos de educação e desenvolvimento da fé, respeitando as diferenças e acolhendo os diferentes.

Sem o culto à diversidade e respeito ao estágio de evolução de cada um, jamais alcançaremos a tolerância e a aproximação que verte dos planos mais altos da vida.

Muitos encarnados, que reconhecem as verdades espirituais, acham que morremos e todos os preconceitos e divisões religiosas acabam na vida astral.

Isso não é verdade na realidade atual da Terra, mas um dia, essa será a meta de todos que desejam o bem da humanidade.

Nas faixas espirituais mais próximas da matéria, tudo é muito semelhante com o que vivemos no corpo físico.

Os rótulos, o separatismo e os interesses pessoais continuam dentro das comunidades que existem no nível espiritual mais próximo. Segundo dona Modesta:

“A mudança é que não há como negar a imortalidade, a sobrevivência da alma após a perda do corpo físico. Ainda assim, não é um impacto suficiente para desfazer todas as diferenças e aproximar os diferentes. As ilusões prevalecem na grande maioria das almas que atravessam os portais da morte.

Como você, que tem preferência religiosa diversa, se sentirá ao ser recebido no Hospital Esperança e ser convidado a visitar um templo sagrado de Umbanda onde rufam os atabaques em giras muito similares às da Terra?

Como se sentirá ao participar de uma missa católica campal, com todos os seus rituais, sendo que adota outras práticas?

 Como se sentirá ao ingressar na igreja evangélica com encontros semanais e louvores idênticos aos conhecidos na faixa material do planeta, sendo que mantinha seu conceito fixado nos rótulos de fanatismo e exagero para com esses irmãos?”.

Guardioes

Desde o seu primeiro livro³, Pai João tem mostrado uma pequena parcela das divergências de religiões buscando diminuir os danos das crenças enganosas em torno dos pretos-velhos, dos caboclos, exus, pombagiras, entre outros.

Detalhando o trabalho e a missão desses espíritos na vida do espírito imortal, ele mostra que qualquer um de nós pode precisar ser socorrido por um deles.

Os que realmente atuam em nome do bem e da verdade, são companheiros queridos e corajosos, sempre dispostos a socorrer todos os que se encontram nas dores humanas.

Nesse artigo, saldamos a todos eles que, cada vez mais presentes nas reuniões mediúnicas de vanguarda, nos trazem sua fé no Cristo, sua determinação e coragem para enfrentar as mais pesadas energias e ambientes para sanear o orbe nesse momento de transição.

Ficamos felizes em fazer chegar ao mundo físico, os apontamentos do amado Pai João de Angola, que engrandece a função desses espíritos.

Fica aqui a mensagem final de dona Modesta:

 “Meus filhos amados,

Escutamos a rogativa desesperada, o grito de socorro e também o pedido de orientação que partem de vocês.

Somos habilitadas a ouvir uma lágrima que rola na face de quem sofre.

Sabemos bem o que passam com suas dores silenciosas e chegam a nós as súplicas em que pedem uma luz para resolver vossos dramas.

Estamos muito atentas aos passos de todos vocês na Terra.

E estamos perto do coração e da mente de cada um de vocês, mais do que imaginam.

Se não oferecemos as respostas ou se não nos pronunciamos mais claramente não é por omissão. É porque sabemos que podem superar suas provas. E a superação é questão de tempo.

Convém-nos não interferir naquilo que vai fortalecer a alma, ampliar o discernimento e proporcionar a maturidade de vocês.

Depois, quando a dor passar, vão nos agradecer por não os ter retirado dos sofrimentos, porque terão em suas almas o maior tesouro da vida, que é a capacidade de enxergar por si mesmo com a visão ampliada pela experiência.

Confiem. Estamos pertinho, não os desamparamos. Mas, pelo amor de Deus, tenham coragem para tomar as decisões necessárias. É a única recomendação que lhes podemos fazer por agora.

 Sempre ao lado de todos, eu, Maria Modesto Cravo, em nome de milhares de servidoras do Cristo que servem ao legítimo amor, vos deixo minha benção, meu abraço de mãe e o desejo de muita saúde e paz.”.

Maria José da Costa

¹ Autoria de Pai João de Angola pelo médium Wanderley Oliveira – Editora Dufaux.

² Hospital no plano espiritual. É uma obra de amor erguida por Eurípedes Barsanulfo para atender cristão falidos de todas as religiões.

³ Fala, preto-velho.