Notícias

UM JOVEM OBSESSOR – Parte II

Dando continuidade ao artigo da semana passada...


DE UM LADO A OUTRO DO PROCESSO OBSESSIVO

Jovem

Na história de Jefferson, enxerguei a humanização destes obsessores que vivem na ignorância das verdades divinas.

Eles estão no caminho errado, estão alimentando o ser primitivo que ainda há neles, como em todos nós, em razão de revoltas íntimas, de vitimizações desajustadas. Mas ainda assim, continuam sendo humanos. Têm sentimentos, medos, angústias, tudo. O que lhes falta, talvez, seja reavivar o amor em seus corações. Penélope, trabalhadora espirita encarnada esclarece:

       “(...) eles somente estão nesse papel por desconhecerem o amor de Deus por cada um de nós. Quando eles entenderem que nada do que fizeram ou fizerem afastará Deus de suas vidas, voltarão os seus corações para o Pai, libertando-se de sua escravidão.”

Esses medos, essas angústias não nos acompanham somente no plano espiritual, quando tudo que sentimos parece estar mais destacado. As “verdades” que nos levam à revolta e a agir sem amor vêm conosco desde muito tempo e são reafirmados nas múltiplas reencarnações que tivemos até aqui. Daí o sentimento de não merecimento expresso pelo ex-viciado Antônio, personagem do livro que se encontra em recuperação:

       “(...) comecei a gritar que nada daquilo adiantava, porque eu era um pecador e Deus não me perdoaria, pois eu já estava condenado.”

Mas, a lei divina está a nosso favor e tudo foi construído para que não nos perdêssemos na caminhada evolutiva. E isso é de conhecimento da organização na qual Jefferson estava inserido:

       “Ele é um garoto normal, mas, pelo que sabemos, ele não deve estar sozinho. Parece que ele recebe proteção dos da luz, esses malditos, sempre nos atrapalhando.”

TRABALHADORES DA LUZ

Jovem

Os trabalhadores da luz estão conosco, nos auxiliando a enxergar melhor aquilo que parece que nos está obscurecido. Eles nos acompanham em nossa jornada e não nos abandonam, mesmo quando nós lhes damos as costas e não os queremos escutar.

Estando encarnados ou desencarnados, sempre haverá aqueles a lutar por nossa recuperação e eles não descansarão até que estejamos bem. Assim afirma o mentor Aurélio:

       “Mas aqueles dois tinham muitos amigos que os amavam e pediram pela sua recuperação.”

E no tribunal da nossa consciência, mesmo demasiadamente devedores, todo espírito será bem julgado. É o que esclarece a amorosa avó de Jefferson, Lúcia:

       “Não se preocupe com isso agora, Jefferson. Lembre-se de que esse juiz trabalha no Tribunal de Jesus e seguirá as regras impostas por Deus. Apenas confie Nele!”

Mas, se aprendemos tanto com os influenciadores, o inverso também acontece.

Somos exemplos vivos de que, diante da dificuldade, podemos superá-las, sem desviar do nosso caminho. Ao não aceitarmos as saídas mais fáceis, ao não nos deixarmos levar pela corrupção de nossas ideias, ao colocarmos em prática o que vamos aprendendo, mesmo com dificuldades, levamos àqueles que nos querem mal a uma nova forma de pensar e agir. Foi o que Jefferson¹ percebeu:

       “Como estava sendo difícil para mim esses últimos tempos! Sentia-me o tempo todo descoberto, analisando as minhas posturas antigas, percebendo que não era feliz e que as minhas escolhas estavam me levando para um buraco sem fundo. [...] Essa família estava me arruinando.”

Beto, um amigo querido e companheiro de Jefferson dos trabalhos obsessivos, também teve, nas reflexões dos encarnados, uma resposta emocional. Jefferson registou:

       “Beto, no entanto, saiu incomodado com tudo o que ouviu.”


DEPOIMENTO PESSOAL DA MÉDIUM

Jovem
Insert Image
Insert Image

Posso dizer a vocês que escrever essa obra foi bem difícil para mim:

  • Precisei superar muitos preconceitos que tinha para aceitar que Jefferson, um obsessor, poderia me transmitir muitos ensinamentos;

  • Precisei trabalhar minha ansiedade, porque tanto para mim como para Jefferson, não foi fácil descrever a sua vida e as suas dores;

  • Precisei sentir todas as suas dores, angústias, medos, revoltas, indignações ao descrever estes seus últimos anos de vida material e espiritual, para entendê-lo, porque era real e palpável cada relato trazido...

  • Sua humanização era sentida nas fibras do meu ser e, por vezes, me escandalizava ao perceber que muitos sentimentos não eram estranhos para mim.


Quando tudo acabou, eu só pude agradecer a Jesus por ter permitido que Jefferson, com todas as suas dificuldades, descrevesse humildemente a sua vida para mim, nos presenteando com essa obra tão singela, mas tão repleta de ensinamentos.

Espero que ela chegue aos seus corações, como chegou para o meu: como um aviso amoroso de quem já trilhou os caminhos da revolta e maldade e teme que outros acabem, como ele, sofrendo as agruras de um ignorante frente aos testes sábios da vida.

Adriana Machado

¹ Autor espiritual da obra “um jovem obsessor: a força do amor na redenção espiritual”, psicografado por Adriana Machado.