Notícias

Recomeço – Uma palavra inspiradora

mão segurando broto

Ao iniciarmos o ano, precisamos dedicar um bom tempo para uma questão que será nossa companheira em cada dia: em que posso e estou disposto a melhorar?

Segundo Cícero Pereira, no prefácio do livro “Reforma íntima sem martírio”, precisamos entender que “Ter noções claras sobre as conquistas interiores, mesmo que pouco expressivas, é valoroso núcleo mental de motivação para a continuidade da empreitada da renovação. Por sua vez, não dar valor aos passos conquistados é permitir a expansão do sentimento de impotência e menosprezo aos esforços que já temos realizado.”.

CONQUISTA DO CRESCIMENTO PESSOAL

 Mas como ter a noção clara sobre o crescimento de cada um, se ainda não desenvolvemos a capacidade de entender nosso mundo interior?

A única certeza que nos dará a noção de que estamos realizando algo em favor do nosso progresso é a continuidade que damos aos projetos de renovação que idealizamos.

Os desafios de crescimento serão constantes até o fim da vida, pois eles nos impedem de nutrir expectativas com facilidades, entretanto, desenvolverão a coragem e o otimismo indispensáveis para vencer cada um deles.

ESPERANÇA SEMPRE

A esperança não pode enfraquecer diante dos obstáculos, principalmente quando nossos anseios são legítimos e não ultrapassam o direito alheio. As conquistas não podem ser alcançadas na calmaria. As virtudes não florescerão sem os desafios que aparem arestas e podam os espinhos da imperfeição.

Pessoa escrevendo caderno recomeço

NOSSA PALAVRA DE ORDEM É RECOMEÇAR

Segundo Cícero Pereira, “A grande e única virtude nos áridos campos do aprimoramento íntimo é a capacidade de resistir aos apelos para a queda, jamais desistindo do ideal de libertação que acalentamos, trabalhando mesmo que cansados, servindo mesmo que carentes, estudando mesmo que desmotivados, aprendendo mesmo que sem objetivos definidos.

A própria reencarnação é o mecanismo divino do recomeço, da retomada. Justo, portanto, que abracemos amorosamente os compromissos abandonados de outros tempos e aplainemos nossos caminhos tortuosos.”.

TEMOS O QUE MERECEMOS E SOMOS AQUILO QUE MOLDAMOS.

Em meio ao desânimo diante das conquistas não realizadas nasce o lírio da personalidade nova que estamos, gradativamente, cultivando, assim como sob o peso da angústia, estamos construindo a condição imunizadora do poder mental.

Desde que não desistamos, sempre haverá uma chance para a vitória. Não nos transformaremos em anjos de uma hora para outra e ter a capacidade de aceitar aquela parte de nós mesmos que nos causa aversão é o primeiro passo para transformá-la em algo melhor. Aceitar quem somos hoje, sem conivência com nossos erros, para sermos um pouco melhores amanhã. Para isso tem que haver firmeza de propósito.

amor cobrindo campo

NÃO QUEREMOS SER MAIS QUEM FOMOS, MAS AINDA NÃO SOMOS QUEM QUEREMOS SER. ENTÃO QUEM SOMOS?

Muitas vezes temos “[...] profunda inaceitação de tudo na vida. Corpo, profissão, relações, afetos e até mesmo os sucessos do caminho que são dramaticamente abalados pela diminuição da alegria e do encanto diante dessas provas de ajustamento.

Todavia, a lei estabelece a morte do pecado, e não do pecador.

Para todos é abundante a misericórdia – lei universal da piedade Paternal – que nos assegura: o amor cobre a multidão de pecados.” (I Pedro 4:8)

Independente da misericórdia divina, que diminui o peso de nossos erros, “a dor-evolução não tem sido suportada por muitos e agravada por outros, levando a quadros de graves enfermidades morais e desamor a si mesmo.”.

Até o desejo de melhoria e crescimento pessoal – a reforma íntima – tem sido um processo de autopunição e cobrança pessoal. Esse posicionamento já cria um grande obstáculo para a melhoria que queremos em nossa vida.

pessoa se superando recomeço

VALOROSA INSPIRAÇÃO: SE ACEITAR  

“Que a mensagem aqui contida seja uma palavra de recomeço e uma inspiração para a continuidade da luta íntima pela vitória do homem renovado no Cristo de Deus.

E lembrando, mais uma vez, o baluarte da mensagem cristã livre, destacamos que os percalços não cercearam Paulo de Tarso em direção aos cimos. Apesar de seus conflitos, ele, imbativelmente, declarou: “...tornai a levantar as mãos cansadas, e os joelhos desconjuntados, e fazeis veredas direitas para os vossos pés...”(Hebreus 12:12 e 15) e “E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido.” (Gálatas 6:9)

Tenhamos confiança nos pequenos esforços de crescimento que temos realizado. deixando de lado a ansiedade por ser quem gostaríamos de ser, pois só amando quem somos encontraremos força para prosseguir.

“O mesmo Paulo de Tarso que declarou, na angústia de suas lutas: “...o mal que não quero esse faço”, mais adiante, calejado pelas refregas educativas, compreendeu a importância que tinha para os ofícios do bem ao afirmar: “...não sou digno de ser chamado apóstolo (...) mas pela graça de Deus sou o que sou”. (I Coríntios 15:10)

Não somos eleitos especiais para a obra de aperfeiçoamento pessoal e do mundo a que nos dedicamos, mas já estamos dispostos a evitar o mal e a construir o bem que pudermos.

Esse é o melhor recomeço

Maria José da Costa
topo do mundo
Maria José da Costa
Últimos posts por Maria José da Costa (exibir todos)

You may also like