Notícias

NA JORNADA DO AUTOCONHECIMENTO

O QUE É O AUTOCONHECIMENTO?

O autoconhecimento é a capacidade de fazer uma viagem para dentro de si, buscando realmente se conhecer. Esse é um processo gradativo e contínuo de descobertas, visando a transformação que possibilita o aumento da própria consciência sobre os talentos que se tem, mas que ainda não são utilizados por desconhecimento.

O autoconhecimento também visa a identificação e aceitação dos aspectos da personalidade que precisam ser trabalhados, modificados, questionados e atualizados. Cuidando também das marcas emocionais e cicatrizando as feridas interiores que muitas vezes paralisam a vida em determinados aspectos.

O autoconhecimento pode envolver diversos níveis, pois são vários os pilares da vida de uma pessoa e todos são importantes para a busca de se tornar mais pleno: se conhecer de modo mais profundo no aspecto pessoal, emocional, físico, social, espiritual, mental, financeiro e por aí vai.


DESAFIOS EM UM MUNDO DE TRANSFORMAÇÕES

Viver hoje em um mundo com tantos estímulos externos de consumos, em todas as áreas, se tornou um grande desafio para qualquer pessoa.

E a questão que surge com isso é: Como equilibrar essas demandas com as necessidades essenciais do ser? Como viver no mundo sem se perder de si mesmo?

O mundo chama cada vez mais a atenção das pessoas para que elas se voltem para fora de si, com apelos que as levam a consumir cada vez mais experiências, objetos, estilos de vida, drogas estimulantes, lícitas ou não, entre outros fatores.

Com as redes sociais, as pessoas que tem estado hiperconectadas vivem, também, uma vida virtual. E aí os convites que aparecem são tão variados, que muitas vezes apontam para a necessidade de se mostrar como alguém que tem  recursos para viagens, contato com pessoas interessantes e influentes, que é bem sucedido, que usa as marcas de grifes e tudo sempre postado com rostos  bonitos, em corpos esculturais e em peles perfeitas.

Sempre buscam aparecer se divertindo, vitoriosos em suas áreas e muito felizes, com sorrisos nos rostos em selfs postadas em lugares paradisíacos ou em festas luminosas e badaladas.

Mas, muitas vezes, esse que se tornou o padrão de felicidade de muita gente, apenas reflete uma vida cheia de eventos, lugares, pessoas e coisas, mas em verdade, vazia de significado.


REALIDADE OU ILUSÃO?

Muitos que agem assim, encontram-se inconscientes de si mesmos, estacionados no automatismo dos condicionamentos que criaram para si. Não refletem de modo mais profundo na própria vida, buscam a alegria no que pensam que pode atendê-los mais imediatamente, que é o prazer que sentem. Mas essa busca da felicidade, mascarada pelo prazer, é sempre de curta duração e muitas vezes com consequências de longo tempo.

E com isso, as pessoas vão se distanciando de si mesmas, desnorteadas da sua essencialidade, numa tentativa de atenderem aos apelos do mundo, porque querem preencher esse vazio, fazendo parte, sendo vistas e reconhecidas por todos e de preferência com muitas curtidas.

Mas esse é um mundo que exige uma imagem de algo que não se é de verdade e então o Eu real não encontra condições para aparecer.


AS DIFICULDADES GERADAS PELA AUSÊNCIA DE AUTOCONHECIMENTO

Das grandes dificuldades de relacionamentos que são encontradas no mundo muitas resultam da ausência de autoconhecimento.  É que pessoas que não tem autoconhecimento, acabam por conviver com pessoas que não se conhecem. E o resultado disso são muitas dificuldades, desentendimentos, insensibilidades, cobranças, desrespeitos que acabam em dores para todos os envolvidos.

Quantas pessoas tem um nível tão baixo de autoconhecimento que nem sabem o que realmente querem para si? Não escolhem ou quando o fazem, insistem em fazer escolhas imperfeitas por não acessarem o que lhes é próprio, ou seja, as suas reais necessidades.

Muitas vezes, dizem racionalmente que querem algo determinado para si, mas a verdade é que suas atitudes claramente as levam para um sentido bem diferente daquilo que dizem buscar.

Somente com autoconhecimento se saberá o que realmente precisa.


CONDIÇÕES PARA O AUTOCONHECIMENTO

É preciso aprender a fazer silêncio interior para conseguir ouvir a voz de si mesmo que gradativamente falará para você de quem se é.

Em um ambiente interno sem culpa, sem medo, sem julgamentos, com muito auto respeito, autoamor, auto perdão e autoaceitação.

 É um exercício de se desprender dos apelos do mundo, que falam das necessidades de consumo de todas as maneiras, para aprender a usar sem ser possuído por objetos ou estilos de vida.


O MEDO DA SOMBRA

O medo muitas vezes está associado ao desconhecido. O imaginário cria monstros na mente que dificultam o autoencontro.

Mas a sombra é todo conteúdo que se encontra no inconsciente e que não é aceito ou reconhecido como sendo da própria pessoa, porque fere os valores morais que se tem.

O reconhecimento da sombra, aquilo que se mantém no inconsciente, oculto por não admitirmos em nós determinados aspectos, na verdade tem grande poder de influência na vida.

É que o ser humano é mais regido pelo conteúdo que está no seu inconsciente do que por aquilo que está no consciente. E é interessante notar que o inconsciente insiste em aparecer para ser visto, aceito e transformado, mas é preciso ter olhos de ver.

Quando se reage a uma situação de um modo desproporcional ao fato desencadeador e a pessoa depois diz: “Mas eu não sei o que aconteceu!”,

“Eu jamais agiria assim!”, “Na verdade, se o outro não tivesse feito aquilo eu não teria feito o que fiz.”.

O que a maioria das pessoas fazem para negar a sua sombra é terceirizar a culpa. Todos os problemas que surgem elas colocam como nunca sendo de sua responsabilidade e assim se portam como vítimas do mundo, dos outros, das condições, da vida. E com isso, gastam grande tempo e energia em lamentações ao invés de criar condições para solucionar suas dificuldades.

Mas é importante saber que os desafios que aparecem nas experiências do mundo, são apenas materializações das nossas condições interiores. Portanto, compreender esse mecanismo dará grande possibilidade de mudar todo o desfecho de uma vida, a partir de então.

E cabe a cada um fazer isso.


O QUE LEVAR PARA ESSA JORNADA?

Na viagem do autoconhecimento, o autoamor, o autoperdão, e a autoaceitação são acessórios indispensáveis que fazem parte do pacote de valores para viver essa extraordinária experiência com mais leveza.

O objetivo do autoconhecimento não é de modo algum se martirizar. O objetivo é sempre o de se desenvolver, crescer, melhorar e estabelecer uma profunda e verdadeira amizade com você mesmo, para que possa expressar cada vez mais seus próprios potenciais.

E vai uma advertência: Não é possível trabalhar o autoconhecimento sem dedicar algum tempo a isso. Porque esse é um processo contínuo e não uma atitude de impulso. Não basta um desejo imediatista para as grandes realizações. As maiores conquistas são respostas da continuidade com a utilização de um método ao longo do tempo. Por isso, é tão importante criar um espaço no dia para a auto-observação.


PRATICANDO O AUTOCONHECIMENTO

Analise a si mesmo através das situações que mais mexeram com você no decorrer do dia. Com muito amor e compreensão, reveja suas respostas, atitudes e suas consequências, bem como o que te levou a agir assim. Reflita sobre o que mobilizou para determinadas reações? O que na verdade estava por detrás dessas atitudes?

Na prática do autoconhecimento faça perguntas. As respostas chegarão na medida que se tenha coragem de saber.


ALGUMAS PERGUNTAS PARA O AUTOCONHECIMENTO

  • Quem sou eu?
  • O que sou em essência?
  • Qual o meu propósito na vida?
  • No que realmente acredito?
  • Quais valores tenho?
  • O que realmente busco?
  • Para que estou vivendo determinada experiência?
  • O que preciso aprender?
  • O que me levou a fazer o que fiz?
  • Por que me senti ofendido?
  • O que estou sentindo?
  • Como agir de modo melhor da próxima vez?

Claro que, num processo de amizade, a conversa é algo que aparece naturalmente.

Então, tenha interesse por você mesmo. Pergunte, queira saber mais!

E não é muito difícil de compreender o como se faz, mas é necessário despertar a vontade. A vontade é a virtude que define até onde se irá neste momento.


AS CONQUISTAS DO AUTOCONHECIMENTO

O ser consciente de si é alguém renovado por essa jornada interior. É uma pessoa que sempre retorna mais maduro das reflexões que realiza.

Continua convivendo no mundo, com as pessoas e vive as experiências, se diverte, busca ser feliz, mas agora de uma forma muito mais harmônica. Por estar bem consigo mesmo, tudo flui mais facilmente. Já não projeta suas dificuldades no outro.  

Como se trata com consideração, também dá o direito de cada um ser quem é, com suas escolhas e peculiaridades.

É alguém que escuta os próprios sentimentos, se respeitando profundamente.

Sente muito mais segurança na vida, porque não busca mais a segurança nas coisas que são mutáveis e transitórias, ou nas pessoas que também são imperfeitas. Mas sua segurança vem da confiança que tem em saber da própria capacidade de lidar com os fatos e situações, de refletir, ponderar e com isso, fazer escolhas saudáveis, que são coerentes com o que realmente é essencial.

Enfim, quem trilha a jornada do autoconhecimento, descobre que é um ser único, que é digno, que tem valores próprios e que por isso mesmo o seu caminho de crescimento também será singular. E com isso, busca agir com responsabilidade ao fazer as escolhas e viver de modo totalmente coerente com os próprios valores, com o objetivo claro de encontrar o melhor.

Rodrigo Ferretti ¹

¹ Rodrigo Ferretti é Psicólogo Clínico por formação, especialista em Neurociências e Comportamento e em Psicologia da Educação e em Educação Emocional. É palestrante e co-fundador do Espaço das Emoções.