Notícias

Mensagem de Compaixão – Irmão Edgard Armond

Queridos amigos espirituais e em especial irmãos e irmãs em leitura.

Nosso Senhor Jesus Cristo, nos guia.

Nossa Senhora Aparecida, nos protege.

Permanecemos de braços dados no caminho que leva até Deus.

Temos assistido a uma luta interminável na Terra por comida, por roupas e por coisas materiais. Mas, quando as necessidades espirituais nos atingem também, como nestes quesitos, parece haver uma letargia imensa misturada com a estagnação dos ateus.

É como se fôssemos jogados para o centro do que é certo, e o que é certo, todos nós sabemos, a Deus pertence.

Acontece que se formos engessados por ideias por demais arrebatadoras, para não dizer fora da realidade humana, como é que poderíamos estar próximos de Deus, se estivermos distantes daqueles que foram criados à Sua imagem e semelhança?

Ou a compaixão que nos dá a condição de um cidadão neutro dá também a medida de nossa verdadeira falta de amor?

Então, como imprimir, querido Deus, cartas a todas as nações para que se conclua a paz, se é o ser humano quem impõe as suas leis religiosas?

Abstenha-se de nós, então, Senhor, a culpa por dizer que cremos em Sua existência perante o inconfundível e perdoa-nos a prerrogativa científica de Sua inexistência, ante a infalível miséria a que fomos expostos; ante a infalível certeza de que foste o criador destas mazelas.

E, para povoar o campo do semeador de novas esperanças dai-nos, oh Deus, o fruto novo; ou a nova visão; ou a compaixão do sentimento brotado; ou a certeza do amparo sob vossa sabedoria; ou o mundo novo de ideias.

Deus, sob vossa criação eis um mundo nosso que precisamos e, de antemão, Vosso olhar somente já compensaria um minuto nosso de solidão.

Credite em nós, oh Deus, um segundo de Seus minutos à paz no mundo. Só assim a humanidade caminharia para a colheita dos grãos rentes a um chão de estrelas.

E, do chão, nascerá uma nova comunhão.

Abençoe Deus, a Terra e os céus,

Que assim seja,

Para todo o sempre,

Amém!

Irmão Edgard Armond (22/11/2018)
Do complexo de Casas de Passagem da Irmandade da Luz