Notícias

A Redenção de um exilado – De degregado a apóstolo

livro redenção de um exilado

Quando pensamos sobre os acontecimentos atuais no mundo, vamos encontrar na obra A redenção de um exilado — de degredado a apóstolo, psicografada pelo médium Samuel Gomes, cujo autor espiritual é Lucas, informações importantes para compreender o que se passa e para buscar a serenidade necessária para vivermos este período.

Precisamos compreender que as ocorrências que envolvem a Terra neste período são devido à transição planetária. E que há alguns itens importantes envolvem os aspectos espirituais de uma coletividade quando sujeita ao degredado planetário:

  • O mundo atingir um grau de Regeneração em sua escala evolutiva;
  • A coletividade contrariar as determinações dos Cristos Planetários que traçam objetivos superiores para o aprimoramento e desenvolvimento moral da humanidade;
  • O mundo atingir passar por uma limpeza espiritual que determinará a deportação de milhões de espíritos que se recusam a dar um passo em direção aos mais elevados padrões de espiritualidade.

Em um cenário de transição planetária, somos chamados a adotar uma mudança de valores e de comportamentos, abandonando as expressões de primitivismo que criam obstáculos para que o bem e a fraternidade se estabeleçam em definitivo para o progresso da nossa casa planetária.

E, neste cenário, podemos voltar a nossa atenção e pensar sobre a limpeza astral do nosso planeta Terra nos seguintes aspectos:

  • A partir do início do Período de Regeneração, os dirigentes espirituais da Terra começaram a retirada dos espíritos das regiões inferiores do umbral. É por esta razão que temos muitas vezes a sensação de que convivemos com espíritos, por exemplo, que parecem compartilhar de ideias medievais;
  • A regeneração da Terra começou com o surgimento da Doutrina dos Espíritos, Século 19;
  • Temos notícias de que a limpeza energética da Terra começou sete setenários antes da virada do Século 20 para o 21. Significa dizer que 49 anos antes de 2001 a limpeza astral já estava andamento;
  • Coincidência ou não, os cálculos nos levam para 1951, logo após a Segunda Grande Guerra Mundial;
  • Temos também notícias de que em 1986, Jesus Cristo deu uma moratória de 50 anos [1], à humanidade terrena, na qual todas as injunções cármicas previstas para se abaterem sobre nós no final do século 20 foram suspensas. Esta moratória foi prevista a fim de que o nosso mundo tivesse uma nova oportunidade de progresso moral sem as catástrofes e intensos sofrimentos relativos à dureza de nossos corações.

Jesus, como Governador Planetário, e o grande estadista do mundo, sempre esteve presente no planejamento evolutivo deste nosso orbe. Vamos encontra-Lo no livro A redenção de um exilado – de degredado a apóstolo recebendo não só os Exilados de Capela, mas também exilados de outros mundos.

Jesus está presente em cada lance de nossas vidas, a nos orientar e amparar, sempre. Prossigamos adiante, com coragem e determinação, observando as importantes promessas e até os convites que Ele nos fez:

Venho, em nome do amor do Pai, convidá-los diretamente para construirmos uma estrada de experiências para os irmãos que começam a dar os primeiros passos rumo aos deveres que o Pai determinou aos seus espíritos.

Iremos caminhar juntos, a fim de que os espíritos em trajetória de evolução conheçam, de forma consciente, a bondade Daquele que os criou e que os ama;

Inúmeras oportunidades de trabalho aguardam para que possam se refazer do desprezo com que lidaram com as possibilidades oferecidas aos seus espíritos.

Venho pedir-lhes o esforço de trabalho e abnegação para que transformem seus espíritos em estrelas do céu do Criador de todas as coisas e de todos os seres.

Chegará o dia em que retornarão ao paraíso perdido do seu orbe de origem, laureados pela renúncia e pelo trabalho árduo com que construíram a subida aos montes da elevação e da paz.

E para que não se sintam sós, Eu mesmo estarei um dia com vocês na face da Terra, para relembrá-los o compromisso agora firmado entre seus corações e o meu, (...).

Recebo-lhes em meu coração e os amo para sempre. Deixo-lhes a minha paz, não a paz que vocês oferecem em suas expressões, a inércia e a inutilidade, mas sim a da alegria de podermos viver em fidelidade aos propósitos de nosso Pai, que atua para que trabalhemos da mesma forma também, pois o maior testemunho que podemos oferecer é o de Lhe cumprir a vontade sábia e justa para vivermos definitivamente em Seu seio de amor e paz, na eternidade.”

Maria José da Costa

[1] Notícias de Chico, Chico Xavier, Samuel Gomes, Segunda Parte, Pergunta 15. Editora Dufaux.

Maria José da Costa
Últimos posts por Maria José da Costa (exibir todos)

You may also like