#livrosquetransformamvidas

André Luiz

Conheça a história de nosso autor

André Luiz é o nome atribuído pelo médium e filantropo brasileiro Francisco Cândido Xavier a um dos espíritos mais frequentes em sua obra psicografada, algumas já adaptadas para o teatro, televisão e cinema; mais notoriamente o best-seller Nosso lar, filme de sucesso lançado no Brasil em 2010.

André Luiz foi um médico em sua última encarnação e muitas das obras psicografadas atribuídas a ele possuem diversas informações biológicas complexas. Em artigo publicado na revista científica Neuroendocrinology Letters, em 2013, cientistas compararam o conhecimento médico recente com doze obras psicografadas por Chico Xavier atribuídas a André Luiz, identificando nelas várias informações corretas, altamente complexas, sobre a fisiologia da glândula pineal e que só puderam ser confirmadas cientificamente cerca de 60 anos após a publicação das obras. Os cientistas ressaltaram que o fato de que o médium possuía baixa escolaridade e não era envolvido no campo da saúde levanta reflexões profundas sobre as obras, fruto de comunicação espiritual.

Possíveis identidades

Acerca da verdadeira identidade em vida da entidade espiritual, e considerando que vários pormenores nas obras de André Luiz foram preventivamente alterados (a pedido deste próprio espírito, segundo consta na biografia de As vidas de Chico Xavier), existem várias teorias no movimento espírita, associando o espírito a diferentes personalidades históricas, tais como:

Carlos Chagas

A versão mais aceita é que André Luiz teria sido o médico Carlos Chagas, falecido em 1934. Tal versão é confirmada pelo médium e médico Waldo Vieira, que também possui obras psicografadas atribuídas a André Luiz, três delas em parceria com Chico Xavier.

Oswaldo Cruz

Uma das teorias sustenta que, em sua última encarnação, a entidade teria sido um médico brasileiro, residente no Rio de Janeiro, e entre esses, citado o nome de Oswaldo Cruz. Uma leitura atenta da obra Nosso lar, aliada a algum conhecimento da biografia do cientista brasileiro, leva à constatação de que são personalidades distintas. André Luiz, em vida, fora filho de um comerciante, enquanto que Oswaldo Cruz era filho de Bento Gonçalves Cruz, médico veterano da Guerra do Paraguai. Adicionalmente, recorde-se que Oswaldo Cruz desencarnou em 1917, vítima de insuficiência renal, sendo que André Luiz desencarnou em decorrência de oclusão intestinal e, tendo passado “mais de oito anos” nas regiões umbralinas, estava ainda se adaptando à vida na Colônia Espiritual Nosso Lar, para onde acabara de ser levado, quando recebeu a notícia de que era agosto de 1939. Portanto, deve ter desencarnado por volta de 1929 a 1930.

Faustino Monteiro Esposel

De acordo com o jornalista Luciano dos Anjos, a personalidade André Luiz foi o médico carioca, Dr. Faustino Monteiro Esposel que, por dois mandatos, foi presidente do Clube de Regatas Flamengo, na década de 1920.

Uma das contribuições mais lembradas de Faustino é o sinal semiológico que leva seu nome e de seu colega Antônio Austregésilo. O sinal de Austregésilo-Esposel é considerado um dos importantes estudos sobre o reflexo plantar, e foi publicado em 1912. Conforme a descrição do sinal, a estimulação da face anterior ou medial da coxa desencadearia a abertura em leque dos dedos do pé. Isso pode ser observado no lado debilitado do corpo de pacientes portadores de síndrome do primeiro neurônio motor, cujo exemplo mais clássico é o acidente vascular cerebral.

Conheça os livros de André Luiz:

Xeque-mate nas sombras

A vitória da luz

pelo espírito André Luiz

Futuro espiritual da Terra

pelo espírito André Luiz

A decisão

Cristos planetários definem o futuro espiritual da Terra

pelo espírito André Luiz