#livrosquetransformamvidas

Blog qual a diferença entre morte e desencarne

Qual a diferença entre a morte e desencarne

Um Tiquinho De História

Desde sempre a morte tem sido assunto de dúvidas e estudos que produziram mais teorias do que respostas lógicas. Respostas que já poderíamos ter se:

  • A Igreja Católica não condenasse a reencarnação em meados do século VI, no segundo Concílio de Constantinopla, em decisão política, para atender exigências do Império Bizantino;
  • Essa conferência não abolisse tal convicção, cientificamente justificada milênios antes da era cristã, como fato incontestável e norteador dos princípios da Justiça Divina, que sempre dá oportunidade ao ser humano para rever seus erros e recomeçar o trabalho de sua regeneração, em nova existência.

Ao abolir a reencarnação, a humanidade entrou em um processo de lavagem cerebral:

  • Perdemos todos os princípios básicos da continuidade da vida, da evolução do espírito ao longo da eternidade e da vida após a morte;
  • Caíram por terra as crenças lúcidas e logicamente já estudadas e entendidas que nos orientavam para as realidades do plano espiritual desde o Antigo Egito;
  • Esses conhecimentos foram substituídos por várias teorias mirabolantes de um céu e um inferno eternos, permeados por uma estadia temporária em um purgatório;
  • Teorias que mais criaram dúvidas e nos distanciaram da nossa realidade divina;
  •  Estabeleceu-se a crença em um Deus que castiga em vez de um Pai que ama.
  • A reencarnação foi substituída pela ressurreição, que contraria todos os princípios da ciência, uma vez que admite a volta do ser, por ocasião de um suposto juízo final, ao mesmo corpo já desintegrado em todos os seus elementos constitutivos.

 

O Que Mudou?

Esse cenário mudou a partir do aparecimento da Doutrina dos Espíritos:

  •         Ela foi estudada a partir de 1854 por Allan Kardec, que é um pseudônimo do professor Hippolyte Léon Denizard Rivail (1804 — 1869), um influente educador, matemático, autor e tradutor francês, discípulo do reformador educacional Pestalozzi;
  •         Como um dos pioneiros na pesquisa científica sobre fenômenos paranormais (mais notoriamente a mediunidade), Kardec se dedicou à estruturação de uma doutrina baseada na necessidade de compreensão dos fenômenos espíritas, integrando-os com os conhecimentos científicos e filosóficos;
  •         Publicou O livro dos espíritos em 1958 com mais de 500 questões, sendo que a segunda edição teve o acréscimo de várias outras, totalizando as 1.018 questões que temos até hoje;
  •         Essas perguntas foram respondidas por médiuns de todas as partes do mundo e em seu conteúdo traziam as mesmas respostas;
  •         Daí se dizer que estas respostas passaram pelo controle universal dos espíritos, pois os médiuns não se conheciam e nem se relacionavam.

 

Mas e a resposta da pergunta?

 

Após este breve histórico, retomamos o questionamento principal deste texto. Mas antes de responder a pergunta, preciso esclarecer duas outras questões:

  • O que é a ALMA?
  • O que é o ESPÍRITO?

No Espiritismo, o termo alma é usado para quando o espírito está encarnado, ou seja, está vivendo no plano físico. O termo espírito é usado para quando ele está vivendo no plano espiritual.

  • Mas os dois se referem ao mesmo ser – o espírito – em dois planos diferentes: o material e o espiritual.

 Morte e Desencarne são a mesma coisa:

  • Morte: o fato de que o espírito não vive mais no plano material; que seu corpo não tem mais vitalidade e vai se degenerar.

 Desencarne: a mesma realidade da morte, mas o espírito continua vivo no mundo espiritual, preparando-se para reencarnar novamente dando continuidade à sua jornada eterna de crescimento.

 

Conclusão

 

  • O esgotamento dos órgãos do corpo são a causa da morte.
  • Podemos comparar a morte com a parada de uma máquina desorganizada. Se o corpo está comprometido a vida se extingue.
  • Quando a vida física acaba acontecem duas coisas: 
  • Os elementos que compõem o ser orgânico se decompõem, sofrem novas combinações e vai formar novos organismos;
  • O espírito volta ao plano espiritual, de onde saiu e que é sua pátria de origem.

 

E esse é o grande ciclo da vida!

 

Indicamos a leitura de O livro dos espíritos para maior compreensão do tema.

 

Para se aprofundar no assunto, confira estes outros conteúdos:

Perdão, a chave para a liberdade -
Adriana Machado & Ezequiel

Neste romance revelador, conhecemos Onofre, um pai que enfrenta a perda de seu único filho com apenas oito anos de idade. Diante do luto e diversas frustrações, um processo desafiador de autoconhecimento o convida a enxergar a vida com um novo olhar.

O que é ter uma queda espiritual afinal? - Raphael PH Alves

O maior de todos os objetivos quando nós iniciamos um caminho espiritual é nos tornarmos pessoas melhores para nós e para o próximo, termos mais consciência do nosso mundo interior e exterior. Entender mais as dificuldades da vida e ter certeza de que tudo são fases e que um dia vai passar.
The following two tabs change content below.
Maria José iniciou o trabalho da Editora Dufaux, em sua casa, na Rua Professor Baroni, no bairro Gutierrez, que se tornou a primeira sede da Dufaux. Em Para tanto, ela “confiscou” o único computador e o telefone fixo da família, dando início aos trabalhos.

Latest posts by Maria José (see all)

Compartilhe esse post

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram

Veja outros posts que podem lhe interessar

fases da reencarnação

Fases da reencarnação

O QUE É A REENCARNAÇÃO? A reencarnação é um processo usado pelo espirito em evolução na Terra, com o objetivo de desenvolver as suas aptidões

Leia mais »
Editora Dufaux logo colorida

Cadastre-se para receber um
CUPOM DE
15% de desconto
na Loja Virtual Dufaux, novidades do blog, conteúdos edificantes, lançamentos e muito mais!”